Coloração pessoal: o que é isso?

Tá vendo todo mundo por aí falando “eu sou verão frio”, “eu sou primavera brilhante” ou “essa cor não é da minha cartela” e não sabe do que estão falando? Hoje eu vou te explicar o que é essa tal de análise de coloração pessoal!

Tudo sobre coloração pessoal

De onde surgiu a idéia coloração pessoal?

Esse conceito de coloração pessoal não é tão novo. Johannes Itten, um pintor suíço e professor da famosa escola de artes Bauhaus, foi o primeiro artista a fazer essa divisão de cores de acordo com as estações do ano, por volta da década de ’20. O conceito foi se desenvolvendo até que na década de ’40, Suzanne Caygill, uma das pioneiras em consultoria de imagem, criou o método de coloração sazonal, que continuou sendo aprimorado até chegar nos métodos que usamos hoje em dia.

Sim, os métodos – no plural. O mais popular no Brasil é o sazonal expandido de 12 estações, que é o que eu uso, mas existe também o sazonal original de 4 estações, o 4×4 (de 16 cartelas), o método tonal, entre outros. Eu prefiro usar o sazonal expandido pois é o que temos melhor documentada a técnica e acesso a materiais de qualidade por aqui – o que é essencial para que a análise tenha um bom resultado. É sempre pensando nele que eu vou falar aqui.

Primavera, Verão, Outono e Inverno: quem é você?

No método sazonal expandido, as 12 cartelas são organizadas de acordo com 3 características de suas cores: temperatura (quente ou frio), intensidade (saturado ou suave) e profundidade (claro ou escuro). E não tem uma regra que possibilite saber sua cartela só olhando pra cor da sua pele, por exemplo – uma pele negra pode ser tanto quente como fria ou uma pessoa morena pode ficar melhor com cores claras. Por isso a única forma de descobrir sua cartela é fazendo o teste de coloração pessoal.

Cada cartela vai ter uma característica principal dentro das 3 dimensões das cores (temperatura, intensidade e profundidade). Assim, temos 4 cartelas onde a característica de cor que mais influencia na pele da pessoa é a temperatura (primavera quente, outono quente, verão frio e inverno frio), outras 4 cartelas onde o mais importante é a intensidade (primavera brilhante, outono suave, verão suave e inverno brilhante) e por fim, 4 cartelas onde o que se destaca é a profundidade das cores (primavera clara, outono escuro, verão claro e inverno escuro).

coloração pessoal

Mesmo dentro do método sazonal expandido pode ter uma diferença de nomes de cartelas dependendo do fornecedor do material, mas isso não muda as características das cores daquele grupo, é apenas uma questão de tradução. Assim, as estações frias e quentes podem também ser chamadas de puras ou verdadeiras. Brilhante pode ser traduzido como vivo ou intenso, suave como opaco e escuro como profundo.

Como é feito o teste de coloração pessoal?

Na prática, no teste de coloração pessoal, a sua consultora vai primeiro isolar sua roupa e cabelo com um tecido cinza neutro. Depois, ela vai colocar próximo ao seu rosto vários tecidos que reproduzem as características das cores e avaliar como essas cores refletem no seu rosto. Nesse momento, analisamos como essas cores fazem, por exemplo, que olheiras pareçam mais ou menos escuras, lábios ficam mais ou menos corados, olhos mais ou menos brilhantes, marcas apareçam na pele e também como a cor harmoniza no geral com as cores da beleza natural da pessoal. Com base nisso, vai sendo definido quais as melhores opções de acordo com as dimensões das cores (de novo: temperatura, intensidade e profundidade) e também, dentro dessas dimensões, o que é que influencia mais naquela pele. Com isso, chegamos a qual cartela mais favorece a beleza natural daquela pessoa.

coloração pessoal

Além disso, também avaliamos no teste o contraste pessoal – contraste entre as cores da sua pele, lábios, cabelo e olhos. Não tem uma regra e qualquer cartela pode ter qualquer tipo de contraste (que classificamos em baixo claro, baixo escuro, médio e alto), ainda que algumas combinações entre cartela e contraste não sejam tão comuns.

Posso fazer o teste de coloração pessoal online?

Pra ser direta ao ponto: NÃO. O teste é feito sempre pessoalmente, já que a iluminação pode interferir no resultado final – uma boa consultora vai saber como avaliar se a iluminação do local está adequada para realização do teste, o que não dá pra fazer pela internet. O ideal é que seja feita com iluminação natural, mas também pode ser usadas lâmpadas “daylight” que tem uma temperatura de cor próxima a da luz do dia.

Além disso, pela internet dependeríamos de calibração de câmeras e monitores para ajuste de cor, o que um usuário comum muitas vezes não tem como fazer. Você já notou como a mesma foto pode ter cores diferentes vista na tela de celulares diferentes? Então, é disso que eu estou falando. Não tem como garantir que consultora e cliente estejam vendo exatamente as mesmas cores em uma avaliação online. Pela internet só conseguimos avaliar o contraste pessoal, mas não a cartela de cores.

Outra coisa que precisa ser explicada são essas edições que vemos no Instagram trocando a cor da roupa ou do cabelo de uma celebridade, por edição de imagem. Com isso só é possível fazer uma análise bem básica de harmonia das cores, mas não determinar a cartela. Afinal, a pele da pessoa já foi registrada na foto com a roupa que ela usava naquele momento, e mudar a cor da roupa com um editor de imagem não vai alterar como a cor refletia na pele no momento que a foto foi tirada.

Mas isso tudo não vai me limitar?

Pelo contrário! A idéia é que você aprenda a usar as cores de forma a favorecer sua imagem, não limitar suas escolhas. Primeiro que todas as cores tem suas versões quentes ou frias, claras ou escuras, certo? Você não vai precisar deixar de usar vermelho, por exemplo, mas vai aprender qual é o vermelho certo para você. Além disso, em uma análise de coloração pessoal você vai aprender como neutralizar cores “erradas” para você.

Outro ponto é que essa análise mostra como as cores refletem no seu rosto, então estamos falando de blusas, colares, brincos, e principalmente, de maquiagem e cor de cabelo. Então você pode continuar usando outras cores na parte de baixo do corpo como preferir.

E além disso, estamos aqui falando em harmonia, certo? E ninguém é obrigado a ter uma imagem harmônica. Na consultoria de imagem nós olhamos para outras questões e dependendo dos seus objetivos e do seu desejo de imagem, pode ser que para você não seja interessante ter essa imagem de harmonia total, pelo contrário. Por isso tudo é um grande depende, e esse processo de análise de coloração é, sobretudo, de auto-conhecimento e sobre aprender a usar a informação a seu favor.

Quero saber qual é a minha cartela!

Se interessou em fazer a sua análise de coloração pessoal? Se você estiver aqui na região da Grande São Paulo, entra em contato comigo! Se for de outra parte do Brasil, eu sugiro que você baixe o aplicativo ColorApp, que te ajuda a encontrar uma consultora próxima de onde você está.

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Paula Belotti

Paula Belotti

Consultora de Imagem
📍 Guarulhos - SP
♥︎ Moda, gatos, viagens, sorvete, sushi e blueberries, mas não tudo junto.

Por categorias

Meus Favoritos

Lojas favoritas

Leia também